Pasto Apícola

Apicultura imediata e Reflorestamento apícola

Rogelio R. Dosouto
tel.:11- 4485 0107
Mairiporã - SP
e-mail: [email protected]
www.plantamatriz.com.br
obs.: e-mail no plenário: [email protected]

Reflorestamento
Vista parcial de um
reflorestamento de Eucalipitus
A apicultura tem sido muito valorizada para a polinização de diversas culturas agrícolas, aumentando a produtividade de frutos e grãos, assim as culturas agrícolas existentes se beneficiam do trabalho das abelhas e servem de pasto apícola. Em geral, dificilmente alguém faz cultivos para formação de pasto apícola exclusivo para as abelhas, a finalidade principal sempre é a cultura em si e as abelhas entram para melhorar a produtividade. O ideal para quem possui terras é fazer cultivos visando os dois lados como uma maneira eficiente de aumentar os lucros por hectare, desta forma o reflorestamento apícola representa um casamento perfeito, pois enquanto a floresta cresce antes do corte da madeira o florescimento das àrvores pode dar muito mel, própole, cera, pólen, etc... e ao final de um certo período, de 7 a 15 anos, pode ser iniciado o corte da floresta em parcelas de 10 a 15 % da área total, sem prejudicar a apicultura e gerando recursos da comercialização da madeira ( que é um produto cada vez mais escasso e caro). Outra maneira seria a implantação da fruticultura, por ex: a lichia cujos frutos são muito apreciados e valorizados no fim do ano, e ao mesmo tempo o florescimento da lichia contribui para encher as melgueiras dos apiários com mel de excelente qualidade.

Evidentemente para ter uma grande produção de mel e sub-produtos é necessário uma grande área que muitas vezes o apicultor não dispõe , neste caso o apicultor deve conversar com seus vizinhos e sugerir o cultivo de determinadas culturas para beneficio mútuo, afinal existem tantas terras ociosas, por exemplo, o apicultor pode plantar Eucalyptus em terras de terceiros e mediante contrato acertar 50 % da madeira para cada um ao final do ciclo, quanto ao mel fica para o apicultor uma vez que os apiários situam-se nas terras dele e podem ficar até 1,5 km do reflorestamento e caso existam outros apicultores na região poderá ser feita uma parceria maior entre os mesmos que permita a formação de um pasto apícola maior, além dos eucalyptos muitas outras culturas podem ser cultivadas em consorciação, por ex: melilotus, alfafa, girassol, mostarda, etc...

O viveiro Planta Matriz surge para ajudar o apicultor a determinar quais as culturas mais convenientes para a sua região e não importa se o apicultor possui ou não grandes extensões de terra, nossa função além da produção de mudas e sementes é fazer os projetos que são de vital importância para o sucesso de todos.

Apicultura imediata 
Consiste no cultivo de espécies que florescem após 3 ou 4 meses e permitem assim em pouco tempo a exploração dos recursos apícolas, ao mesmo tempo o apicultor pode também iniciar a formação do reflorestamento apícola, ou seja mesmo que as árvores demorem algum tempo para florescer a apicultura imediata pode gerar recursos logo no inicio do projeto, depois quando as árvores iniciarem o florescimento os lucros apícolas devem aumentar seguindo uma progressão aritmética.

Como fazer a apicultura imediata ?

Existem milhares de espécies que podem ser utilizadas, mas inicialmente nossa sugestão será o uso do melilotus. Em primeiro lugar o apicultor deve dispor de uma área a pleno sol, remover a vegetação rasteira existente e semear o melilotus direto no campo, distribuindo as sementes a lanço quando o solo estiver úmido, após as chuvas. Geralmente as sementes de melilotus germinam após 2 ou 3 dias e depois de 3 meses já iniciam o florescimento, ficam floridas de 3 a 4 meses, depois secam e morrem deixando cair milhares de sementes para renovar a cultura e reiniciar o processo. Assim o apicultor necessita comprar as sementes apenas a primeira vez, depois realizando a manutenção normal de limpeza e adubação poderá ter uma cultura de melilotus estabelecida e com grande produção apícola( mel de excelente qualidade ). Para que o melilotus tenha bons resultados apícolas devemos usar o calcáreo para manter um pH entre 6,5 e 7,0 também fosfato, potássio e micro nutrientes são importantes para manter o melilotus saudável e produtivo. Outro fator determinante para o melilotus é o climático, assim o apicultor deverá fazer um teste inicial para determinar a melhor época de cultivo do melilotus para sua região, o resto é calcáreo e fertilidade do solo para ter sucesso. Outras espécies indicadas para a apicultura imediata : alfafa, niger, nabo forrageiro, mostarda, rúcula, feijão guandu,girassol .

Reflorestamento Apícola 

Além das árvores nativas que devem ser plantadas com maior preferência nas áreas de preservação permanente e mata ciliar, devem ser incluídas algumas espécies de Eucalyptus que em conjunto fecham o ciclo de florescimento permanente ao longo do ano todo, permitindo uma melhor distribuição da produção apícola. As espécies de eucalyptus a escolher dependem das condições de clima e solo, as principais são :

1- Eucalyptus camaldulensis É o coringa dos eucalyptus, geralmente floresce várias vezes ao ano, fornecendo mel de excelente qualidade e quantidade, além de produzir bastante néctar também produz muito pólen. Sua madeira é avermelhada, dura e de grande durabilidade, assim uma floresta adulta com essa espécie além de garantir uma boa produção de mel, própole, cera e pólen, também representa uma poupança verde pelo valor da madeira acumulada. Também é muito resistente ao frio( resiste a geadas ), prospera em terrenos úmidos ou secos . 

2- Eucalyptus paniculata Quando adulto é um campeão de produção e qualidade de mel, produz muito néctar,porem é pobre em polem, assim a consorciação com outros eucalyptus bons produtores de polem é recomendada. Por exemplo: Eucalyptus camaldulensis e outros. A madeira é da melhor qualidade, dura e de grande durabilidade, podemos chamá-lo de Eucalypto aço, seu crescimento é mais lento que as demais espécies, seu florescimento também é depois de 5 ou 6 anos, assim devemos cultivar essa espécie em consorciação com as espécies da apiculatura imediata. Geralmente floresce no inverno, entre maio e dezembro.

3- Eucalyptus urophilla precoce, Considerado no momento o melhor eucalypto para mel no Brasil, foi selecionado geneticamente para florescimenrto precoce e abundante, pois já floresce após mais ou menos 2 anos, entretanto não resiste a geadas e lugares muito secos. Floresce de dezembro a março.

4- Eucalyptus robusta ou eucalypto do brejo, isso porque desenvolve-se bem em lugares muito úmidos, geralmente floresce em 3 anos, entre março e junho. É muito produtivo, mas sua madeira é de baixa durabilidade.

5- Eucalyptus microcorys, geralmente floresce de julho a dezembro, ou seja em época difícil para as abelhas. Árvores altas de 30 a 45 metros de altura, madeira de excelente qualidade e de grande durabilidade.

6- Eucalyptus melliodora, Considerado a melhor árvore apícola do mundo, alta produtividade e qualidade de mel, floresce entre outubro a março, crescimento lento, deve ser consorciado com espécies da apicultura imediata. Madeira de grande durabilidade.

7- Eucalyptus drepanophylla, floresce entre agosto e outubro, crescimento rápido. Grande produção apícola. Sua madeira avermelhada é uma das mais duras da Austrália.

8- Eucalyptus toreliana,floresce entre março e junho, seu florescimento é espetacular muito ornamental e além de atrair as abelhas sua madeira é de primeira qualidade.

9- Eucaliptus viminalis, geralmente floresce entre maio e outubro, é um eucalypto para clima frio pois resiste a 15 graus negativos, muito atraente para as abelhas, madeira de baixa durabilidade mas de crescimento rápido.
 
10- Eucalyptus resinifera,geralmente floresce de setembro a janeiro, produz muito polem, assim é muito útil para compensar a baixa produção de polem de outros eucalyptus, por ex.: Eucalyptus melliodora, paniculata, drepanophylla. Produz madeira vermelho escura de excelente qualidade. 
Retorna à página anterior